na-tu-ral: ao jeito dos iogurtes

Pus-me muita naquela carta.
Nua.

Escrevi a carta sem roupa.
Não sei se do calor
ou se por acreditar que é ao natural
que a comunicação fluí melhor.

Mas agora nem sei bem o que fazer com o que sobrou,
tenho o corpo vazio.
Contínuo nua e é isto que flui.
Acho que não me sobrou muito.

Será que isto é Física?
Uma pessoa fornece-se ligeiramente a outra
(i.e. por carta, telegrama ou pessoalmente, até)
e depois
se a outra não se lhe fornecer também um pouco
fica-lhe a faltar um bocado.

É um bocadinho egoísta a Física.
(e eu que achava os iogurtes tão altruístas…)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s